Música

A Importância da Música de Resistência.

“Foi a partir dos anos sessenta que a canção popular de resistência – canto de intervenção.- assumiu um papel artisticamente preponderante na luta contra o fascismo. Expressava a revolta, o medo e a opressão, denunciava e rejeitava o fascismo e a repressão, denunciava a exploração e a guerra colonial. Músicos como José Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Manuel Freire, Fausto, Padre Fanhais ou Júlio Pereira, outros viram-se obrigados a sair de Portugal, José Mario Branco, Sérgio Godinho, Luís Cília e Tino Flores, vítimas do fascismo, perseguidos, sofrem uma censura rígida. Tinham o cárcere como destino”

A partir da coleção de Discos de Carlos Neves, preparámos uma pequena playlist de músicas de resistência que eram ouvidas dentro e fora do país, agitando um espirito revolucionário pelas canções que validam e enaltecem a liberdade de quem as ouve.

“Recusar a Guerra Colonial. Uma viagem musical entre África, Portugal e França”

No contexto da exposição “Recusar a Guerra Colonial”, realizada em Abril de 2019 pela Association Memoria Viva / Mémoire Vive, parceira do projeto #ECOS, foi concebida a playlist “Recusar a Guerra Colonial, uma viagem musical entre África, Portugal e França”. Esta integra “um conjunto de arquivos fotográficos, materiais, musicais e documentais que relatam o exílio de cerca de 20.000 portugueses que fugiram da guerra colonial em direção a França, relembrando a história e a memória coletiva destes exilados, refugiados e emigrantes”. – Associaçao Memória Viva/ Memóire Vive.

Para mais informações, consulte o website da Associação Memória Viva/Memóire Vive http://www.memoria-viva.fr/exposition-refuser-la-guerre…/

Leave a Reply

%d bloggers like this: